4 Dicas de como Economizar Energia na Refrigeração Comercial

Não é segredo para ninguém que os gastos com o consumo de energia são uma grande preocupação para qualquer tipo de estabelecimento comercial,

Até mesmo porque, estamos falando de um tipo de gasto que tende a representar uma grande parcela nos custos de um empreendimento.

E quando analisamos esses gastos, não tem como descartarmos os valores referentes a refrigeração.

Afinal de contas, estamos falando de equipamentos que, na maioria das vezes, precisam funcionar de maneira contínua. 

Ainda mais quando falamos de alimentos onde a conservação a baixas temperaturas é  imprescindível para garantir a qualidade e vida útil do produto.

Ou seja, trata-se de um recurso bastante necessário. E, pela impossibilidade de descartá-lo, o que resta é procurar alternativas para que esses custos sejam menores.

É por conta disso que decidimos separar uma lista de dicas para reduzir o consumo de energia relacionado ao uso de equipamentos de refrigeração comercial.

4 dicas para Economizar Energia na Refrigeração Comercial

1 – Manutenção preventiva sempre é bem vinda

Detectar falhas e problemas em equipamentos de refrigeração não é algo tão incomum quanto parece. E muitos desses problemas definitivamente poderiam ser minimizados se a prática de manutenção periódica não fosse negligenciada.

O problema é que no decorrer do tempo vai ocorrer um desgaste natural desses equipamentos. 

Esses desgastes podem não só prejudicar o seu funcionamento como gerar o seu estrago. O que implicaria em gastos muito maiores, tanto em relação a manutenção corretiva do equipamento quanto às potenciais perdas de produtos que deixarão de ser resfriados.

E quando falamos de manutenção preventiva, o objetivo não é apenas analisar e substituir componentes. 

A limpeza, por exemplo, é uma prática extremamente eficaz de manutenção preventiva para esse tipo de equipamento.

O ponto é, para garantir uma boa eficiência dos equipamentos é fundamental que existam cronogramas de manutenção preventiva. Ainda mais quando avaliamos a questão energética.

2 – Evite o bloqueio de passagens de ar do condensador

Garantir um bom fluxo de ar no condensador é uma prática extremamente eficiente a fim de garantir um bom funcionamento e rendimento do processo de refrigeração.

E a razão disso se dá por conta do condensador ser o elemento responsável por bloquear a passagem de calor. 

Porém, para que ele cumpra esse papel, é necessário que a passagem de ar do ambiente esteja sem obstruções. Desse modo se torna possível o processo de resfriamento.

Quando essa passagem é obstruída podem ocorrer duas coisas. A limitação do processo de refrigeração e, também, uma sobrecarga no equipamento. Uma vez que, para manter os níveis de refrigeração pré configurados, ele precisará forçar mais o seu funcionamento.

Seja qual for o resultado da obstrução, o fato é que ambos poderão gerar mais gastos, inclusive relacionados ao consumo de energia devido a ineficiência dos processos.

E a notícia boa é que estamos falando de um problema muito fácil de ser resolvido. Basta que os equipamentos de refrigeração comercial sejam instalados em locais adequados, que permitam o fluxo de ar e, também, que ocorram uma limpeza periódica das grades de circulação. 

O que nos leva para a dica anterior, de manutenção preventiva.

3 – Avalie como é feito o degelo dos seus equipamentos

Embora seja um processo bastante necessário, é preciso avaliar como ele é feito e com qual periodicidade também.

Nesse cenário, vamos encontrar equipamentos de refrigeração onde esse processo ocorre de maneira automática, como nos casos de refrigeradores por convecção e condução.

E, no caso de condução ele ainda pode ser manual. A questão é que a atenção quanto ao processo deve existir, independente de qual for o caso.

Isso porque estamos falando de um processo que pode vir a gerar um alto consumo de energia. Principalmente se ele ocorrer por meio de resistência.

Outro ponto que precisa ser considerado é que, nos processo de degelo manual, ainda existe uma logística que precisa ser respeitada, afinal, os produtos que estavam naquele equipamento ainda precisarão ser mantidos resfriados.

Para lidar com esse potencial problema, a melhor maneira de agir é buscar equipamentos capazes de realizar esse processo de maneira inteligente. 

Nesse caso, eles não apenas realizam o monitoramento das áreas de um refrigerador como iniciam o processo de degelo, de modo automatizado, somente quando existe a real necessidade dele.

Já para os outros casos, o bom mesmo é realizar um estudo sobre o funcionamento do equipamento. Um estudo que te permita realizar o degelo quando ele for necessário.

Afinal, camadas de gelo podem impedir a troca de calor no evaporador. O que vai resultar em uma sobrecarga do equipamento, para que ele continue cumprindo as suas funções.

No fim das contas, negligenciar esse processo definitivamente irá resultar em uma conta de energia mais salgada.

4 – Compre equipamentos e componentes de qualidade

A preocupação com o consumo de energia está muito longe de ser recente. Porém, o que conseguimos perceber, como pessoas físicas, é que ela está muito mais evidente nos dias de hoje.

E conseguimos perceber isso através da simples aquisição de um refrigerador para uso pessoal, por exemplo.

No equipamento consta o Selo Procel, que indica qual é o seu nível de eficiência energética. O que é muito válido, afinal, toda economia é bem vinda.

Esse raciocínio não é diferente quando estamos falando de um empreendimento. Nesse caso, ousamos dizer, inclusive, que a preocupação é maior. Tendo em vista as necessidades de um comércio no que diz respeito às suas economias. 

E para garantir não somente a qualidade do processo de refrigeração, como, também, a eficiência energética, é necessário adquirir equipamentos e componentes de qualidade.

O que você pode encontrar acessando o nosso site, aqui da Nepin. 

Nele você vai encontrar soluções inteligentes e eficazes para a refrigeração do seu comércio.

Acesse e confira! 

Deixe um comentário