Entendendo o uso das caldeiras nos processos industriais

A revolução industrial foi um período de grandes avanços para a indústria. O que resultou em um elevado crescimento do setor, motivado, sobretudo, pela capacidade produtiva que havia crescido em larga escala.

Mas, tudo isso só foi possível por intermédio da Tecnologia Industrial, que ganhava cada vez mais espaço.

Criando máquinas e equipamentos capazes de produzir em um tempo cada vez menor. Permitindo ainda que os custos fossem consideravelmente reduzidos. Além de manter e aprimorar a qualidade do produto.

E um dos grandes protagonistas dessa época, que contribuiu para que tudo isso fosse possível, foi o Vapor, que assumiu um papel importantíssimo para o funcionamento de muitos dos processos industriais.

É nesse cenário que surgem as Caldeiras Industriais. Tratam-se de equipamentos que são fundamentais na realização de muitos processos industriais. 

Sendo que, isso não mudou com o tempo. Pelo contrário. A demanda hoje é de equipamentos que têm se modernizado gradativamente. Trabalhando com muito mais praticidade e eficiência.

No artigo de hoje você vai entender um pouco mais sobre a importância do uso das caldeiras, dentro dos processos industriais. Acompanhe-me nesta leitura.

O que são Caldeiras

As caldeiras nada mais são do que recipientes metálicos cuja principal finalidade é servir de recipiente para o armazenamento de líquidos.

Porém, não para por aí. Esses líquidos são aquecidos, gerando calor, através desse processo. E esse vapor serve para alimentar o funcionamento de diversos tipos de equipamentos como máquinas térmicas e autoclaves.

Portanto, podemos dizer claramente que as caldeiras cumprem o papel de gerar e armazenar vapor. Vapor esse que serve como fonte de energia para máquinas e equipamentos.

São muitos os processos produtivos que fazem uso dessa fonte de energia. Podemos encontrar exemplo dessas aplicações em:

.Frigoríficos;

.Termelétricas;

.Indústria Têxtil;

.Madeireiras;

.Calefação Ambiental;

.Cozimento de alimentos;

.Esterilização de materiais e muito mais.

Como funciona uma caldeira

Para exercer o seu papel na produção e armazenamento de energia, uma caldeira possui uma fornalha. 

Essa fornalha produz calor, através da queima de combustível. Calor esse que serve para aquecer os líquidos, presentes dentro da caldeira, gerando um processo de ebulição em que os líquidos se transformam em vapor.

Portanto, quanto maior for a temperatura, mais ágil será o processo de produção de vapor.

A partir daí, esse vapor já pode ser transformado em energia, por intermédio de uma turbina e alternador.

Existe também a possibilidade desse vapor ser submetido a temperaturas ainda mais altas, reduzindo ainda mais o teor de água em suspensão. 

Evitando que esse vapor possa voltar para o estado líquido em um processo chamado de condensação.

Por fim, todo o calor gerado pelo processo de combustão e aquecimento da caldeira pode ser evacuado ou poderá também passar por um economizador que irá aquecer previamente o líquido antes que ele chegue na caldeira.

Componentes importantes de uma caldeira

Já descobrimos qual é o processo de funcionamento de uma caldeira. Também conhecemos alguns dos seus principais componentes como o recipiente de armazenamento de líquidos, a fornalha, o economizador, dentre outros que citamos no decorrer deste artigo.

Entretanto, existem outros componentes que são fundamentais para o funcionamento de uma caldeira e que tem a importante responsabilidade de garantir que tudo saia dentro dos conformes. 

Estabelecendo altos níveis de qualidade de produção e, sobretudo, segurança.

Nesse sentido, resolvemos destacar alguns produtos que possuem essa finalidade. Sendo eles:

Pressostato

O pressostato é um instrumento responsável por medir e controlar a pressão, fornecendo segurança para equipamentos e processos industriais. 

Dentro de uma caldeira, caberá ao pressotato controlar e medir a pressão que vai existir dentro da caldeira de vapor.

A leitura obtida servirá de base para regular o combustível que será utilizado para o aquecimento da caldeira. Desse modo é possível administrar uma determinada pressão de vapor no sistema.

Válvula Solenóide

Uma válvula serve para liberar ou restringir o fluxo de fluidos. Como uma torneira, por exemplo, que libera ou bloqueia o fluxo de água, conforme o manuseio.

Em válvulas solenóides a premissa é a mesma.Uma das principais diferenças que caracterizam as válvulas solenóides é o modo de acionamento. Sendo elétrico e automático.

E, no caso de sua aplicação em caldeiras, as válvulas solenóides servirão para permitir a passagem de fluidos em altas temperaturas. Sendo, portanto, uma peça importante do que compõe o sistema de controle e segurança de uma caldeira.

Transmissor de pressão

O transmissor de pressão é um instrumento responsável por realizar um importante papel, quando o assunto é automação industrial.

Esse equipamento permite que seja medido a pressão que incide em uma caldeira de vapor. Oferecendo valores com bastante exatidão. 

O seu funcionamento permite que se estabeleça um controle do volume, vazão e densidade do conteúdo.

Drives

Drives são equipamentos de altíssima tecnologia, capazes de otimizar processos e reduzir, drasticamente, o consumo de energia. 

Promovendo uma regulação constante da pressão. Isso faz com que seja preservado um elevado nível de eficiência de energia em todo o sistema.

nepin-acessórios
Dentre as soluções propostas estão pressostatos, válvulas solenóides, drives e transmissores de pressão que você pode encontrar aqui na Nepin.

Tipos de Caldeira

Já falamos aqui sobre as várias aplicações do vapor em processos industriais. Falamos sobre a esterilização, sobre o aquecimento e também falamos sobre o vapor sendo utilizado como insumo para produção de energia.

Por conta dessa diversidade de aplicação, faz-se necessário o uso de diferentes tipos de caldeiras, a depender da sua finalidade de aplicação.

Para isso, precisamos levar em conta dois aspectos muito importantes. 

A capacidade produtiva, e o espaço disponível.

Com base nessas informações, podemos partir em busca do tipo de caldeira que melhor atenda às necessidades produtivas de uma indústria.

Nesse sentido, podemos contar com:

Caldeiras flamotubulares

Nesse caso, os gases quentes, referentes à queima de combustível, passarão por dentro de tubos. Esses tubos vão estar submersos em água.

Portanto, esse processo irá aquecer essa água, gerando vapor.

Sua construção é mais simples e a constituição dos seus tubos pode se apresentar de duas formas. Podendo ser verticais ou horizontais.

Caldeiras aquatubulares

Nesse caso ocorre uma inversão de papéis. 

Ao invés da água ficar em torno dos tubos, como ocorre nas caldeiras flamotubulares, ela passará por dentro dos tubos.

Já os gases quentes, referentes ao processo de combustão, estarão ao redor desses tubos. Aquecendo os tubos que armazenam a água e gerando vapor através desse processo.

Essas caldeiras possuem uma capacidade produtiva maior do que as flamotubulares. Além disso, suportam altíssimas pressões e temperaturas. 

Sendo usadas, principalmente, para geração de energia. Embora possam suportar projetos menores, com a finalidade de uso dedicada a processos industriais.

Caldeiras mistas

As caldeiras mistas mesclam características dos dois tipos de caldeira que já citamos, as flamotubulares e as aquatubulares.

Para isso, misturam o processo de combustão, que ocorre nas flamotubulares, com os tubos de água, presentes nas aquatubulares.

Tratam-se de equipamentos menores, cuja capacidade de produção de vapor é também inferior. Além disso, são caldeiras que funcionam a partir de combustíveis sólidos.

Considerações finais

Desde o início do século XVIII, início da Revolução Industrial, para cá, as caldeiras assumiram um papel de grande importância dentro dos processos industriais.

Isso se deve, em grande parte, à aplicabilidade do seu uso nos mais diversos tipos de processos. Além disso, estamos falando de um insumo que existe em bastante abundância e com baixo custo.

Unindo esses fatores, encontramos um equipamento que, ao invés de sofrer com a obsolescência, desenvolveu-se e se modernizou, conforme os avanços tecnológicos.

E, para contribuir com essa modernização e desenvolvimento, a Danfoss, a Jefferson e outras empresas  criaram diversos mecanismos que auxiliam o bom funcionamento das caldeiras. Promovendo segurança, eficiência e economia para os seus processos.

Dentre as soluções propostas estão pressostatos, válvulas solenóides, drives e transmissores de pressão que você pode encontrar aqui, no portfólio de Produtos da Nepin. Acesse e confira.

 

Deixe um comentário