A Importância dos Equipamentos de Proteção Coletiva (EPC) na Indústria

Segurança no trabalho é um assunto que precisa ser levado muito a sério. De modo que, zelar pela segurança dos seus colaboradores é um papel fundamental para todas as empresas.

Partindo dessa premissa, é preciso que as empresas ofereçam um ambiente com o qual os colaboradores possam exercer plenamente as suas tarefas.

Minimizando ao máximo todos os riscos relacionados com as atividades que cada um precisará desempenhar.

E a aplicação desses conceitos é possível a partir de muitas ações. Seja pela manutenção preventiva do maquinário, pela compra de equipamentos mais modernos e seguros, pela implementação de normas protetivas e, também, pelo tema deste artigo, o uso de EPC.

Essa sigla, EPC, significa ‘Equipamento de Proteção Coletiva’. São equipamentos que têm como objetivo principal a preservação da integridade física de um grupo de pessoas.

E se você quiser saber mais sobre os EPCs, acompanhe-me nesta leitura e conheça alguns exemplos práticos desse tipo de equipamento e saiba qual é a importância deles dentro do ambiente industrial.

O que são EPCs

Como já dito, a sigla EPC significa Equipamento de Proteção Coletiva.

Trata-se de um conjunto de equipamentos que visam proteger os colaboradores de possíveis riscos relativos ao exercício de suas atividades profissionais.

Esses equipamentos são diferentes dos EPIs, que comumente ouvimos falar.

Sendo que, a principal característica que diferencia esses dois tipos de equipamento se encontra na finalidade com a qual esses equipamentos são produzidos.

Algo que podemos perceber no próprio significado da sigla. Enquanto os EPCs são constituídos por equipamentos que visam a proteção coletiva, os EPIs lidam com a proteção individual.

De modo geral, os dois tipos de proteção são indispensáveis para qualquer empresa. E se engana se você acredita que estamos falando tão somente de atividades insalubres ou presentes exclusivamente em indústrias de maquinário pesado.

Tanto os EPIs como EPCs estão muito presentes no nosso cotidiano. Desde a luva que o açougueiro utiliza para efetuar os cortes de carnes, quanto a placa sinalizando que o piso está molhado e escorregadio. Dois exemplos que podemos facilmente encontrar em um supermercado.

O primeiro deles, simbolizando um equipamento de proteção individual, já o segundo um EPC.

E como a ideia é minimizar ao máximo o número de acidentes, é bom mesmo que haja uma boa aplicação das duas modalidades. 

Sendo que, os EPCs levam em conta a segurança de uma forma mais abrangente. Exercendo um papel que muitas vezes antecede o problema.

Isso porque a segurança, nesse caso, parte do pressuposto de um ambiente seguro. Portanto, a ideia aqui é promover ações que tornem todo o ecossistema de uma empresa mais seguro.

O EPC na Indústria

Agora que você já sabe o que é um EPC, vamos entender como funciona a aplicação desse tipo de equipamento dentro das indústrias.

Em se falando de legislação, não há uma norma que venha a se direcionar especificamente sobre essa temática. Entretanto, conseguimos encontrar respaldo legal através da NR 4 e, também, da NR 9. Ambas normas reguladoras.

Ambas estabelecem que é de obrigatoriedade o uso de equipamentos de proteção coletiva, EPC, quando o ambiente de trabalho puder gerar algum tipo de risco para a integridade física do trabalhador.

De modo que o EPC é a primeira linha de defesa, nesse sentido. Estabelecendo mecanismos de prevenção para que os acidentes nem venham a ocorrer.

E, como o assunto é EPC dentro da indústria, podemos citar alguns exemplos claros de sua aplicação para que o entendimento seja ainda mais claro. Vamos aos exemplos.

  • Cones e Correntes de segurança;
  • Extintor de incêndio e hidrantes;
  • Sistemas de ventilação e Exaustores;
  • Filtros;
  • Placas de sinalização (que orientam os trabalhadores quanto utilização de equipamentos e também alertam sobre riscos presentes em determinado ambiente);
  • Detectores de fumaça e sprinklers (esse último se refere a uma espécie de chuveiro automático que é acionado na presença de incêndios);
  • Garras de bloqueio;
  • Comando bimanual de acionamento.

Esses são apenas alguns exemplos da aplicação de EPCs no ambiente industrial. Sendo que, é evidente a importância de cada um deles.

Tanto do ponto de vista operacional, de modo que as tarefas ocorram de maneira otimizada, quanto do ponto de vista humano. Zelando pela saúde de todos.

homem-trabalhando
Segurança no trabalho é um assunto que precisa ser levado muito a sério. De modo que, zelar pela segurança dos seus colaboradores.

Conclusão

Como já falamos logo no início desse texto, segurança é um assunto sério e o uso e a aplicação de EPCs deve ser uma tarefa que vai além da obrigatoriedade legal.

Trata-se de um compromisso humanitário, responsável por preservar a integridade do ser humano dentro do ambiente em que ele desempenha suas atividades profissionais.

Ter esse olhar, permite que a empresa estabeleça um forte elo de confiabilidade não apenas com seus colaboradores, mas com todo o ecossistema que nutre o seu funcionamento. Desde clientes a possíveis investidores.

E uma ótima forma de aplicar esses conceitos é também através da aquisição de produtos de qualidade e que são planejados a fim de minimizar os riscos de sua utilização o máximo possível.

Produtos que possuem essa premissa podem ser facilmente encontrados na nossa loja virtual, aqui da Nepin.

Dentro do nosso portfólio de produtos você poderá encontrar soluções em Automação industrial, Drives, Heating / Cooling, Refrigeração Comercial e Refrigeração Industrial. Confira!

 

 

 

 

  

 

 

 

 

Deixe um comentário