Resistência elétrica ou Queimador de combustível: qual utilizar para o seu processo?

Quantos impasses não enfrentamos na fase de projeto industrial, não é mesmo?

Com tantas máquinas e dispositivos que oferecem o mesmo serviço em troca de pequenos detalhes, acaba sendo difícil ter know hall para tantas opções.

Contudo, esses pequenos detalhes que diferenciam um processo de outro, podem interferir e muito nas etapas de fabricação do seu produto, podendo até reduzir o seu FPY (rendimento de produção com qualidade, sem retrabalho ou reprocessamento).

Neste contexto, decidimos abordar um assunto interessante, bem recorrente na indústria, que tem tudo a ver com o que foi dito até o momento e que tem a seguinte indagação: se preciso de um sistema de aquecimento industrial, devo utilizar queimador de combustível ou resistência elétrica?

Embora pareça algo simples de ser decidido, o tema presente conta com diversos percalços que validam e invalidam o uso de ambos os métodos de aquecimento.

Para saber mais, basta acompanhar este texto até o fim para entender qual utilizar para o seu processo industrial: resistência elétrica ou queimador.

O que é a resistência elétrica

Para entender o que é a resistência elétrica, é preciso entender também o Efeito Joule. Então, vamos abordar este assunto por partes.

A resistência elétrica é um componente que impede o fluxo de corrente elétrica, transformando a energia elétrica em calor.

Esse processo é descrito pelo efeito Joule, o que afirma que quando uma corrente elétrica passa por um condutor, a energia elétrica é dissipada em forma de calor devido à resistência do material.

O que é o queimador de combustível

Agora, sobre o queimador de combustível, podemos dizer que este é um dispositivo utilizado para gerar calor por meio da queima de combustíveis, como gás natural, óleo, propano ou biocombustíveis.

Essa queima acontece através da mistura de ar e combustível, em proporções precisas que fazem com que a queima seja controlada, eficiente e segura.

Assim, as queimas produzidas transferem calor ao ambiente ou para um fluido de processo.

Além disso, são utilizados componentes para a queima do combustível, em que os principais são:

Resistência elétrica ou Queimador de combustível: qual utilizar para o seu processo?

  • Recurso

Como se sabe, a resistência elétrica utiliza energia elétrica como fonte de calor. Assim, seu faz-se adequado onde a eletricidade é facilmente disponível e confiável. Além disso, se a eletricidade for gerada através de fontes renováveis, você assegura a sua participação na redução de emissão de gases poluentes.

Já o queimador de combustível utiliza gás natural, óleo combustível, propano ou biocombustíveis. Assim, faz-se adequado o seu uso em locais onde o combustível é mais acessível ou barato em comparação à eletricidade. Além disso, é mais vantajoso em lugar de aplicações onde não se pode ter interrupção frequente no fornecimento de eletricidade.

  • Custo

Geralmente, os custos iniciais para a instalação e equipamento de resistência elétrica, são menores. Além disso, é claro que os custos operacionais dependem do preço da eletricidade e podem variar de acordo com a região. Mas, deve-se considerar que, dependendo do projeto, a eficiência energética pode ser alta, com menos perdas de calor.

Já o queimador de combustível pode ter custos iniciais mais elevados devido à infraestrutura para o fornecimento e armazenamento de combustível. Os custos operacionais podem ser menores se o combustível for barato e, por fim, pode haver custos adicionais devido à exaustão dos gases de combustão.

  • Aplicação

A resistência elétrica é ideal para processos que requerem controle preciso de temperatura, além de ser utilizado em aplicações de baixa e média temperatura, como: aquecimento de líquido, fornos industriais e equipamentos laboratoriais.

Já o queimador de combustível necessita de grandes quantidades de calor e, por isso, é comum em indústrias de alta temperatura, tais como: fundição, fornos industriais e caldeiras.

  • Exposição

Você, observador, pode notar que o uso de ambos os aquecedores pode ser destinado a fornos industriais, mencionado no exemplo anterior. Este é um dos diversos casos em que devem ser considerados os percalços de processo, como o produto que há de ser aquecido.

Em outras palavras, o queimador de combustível pode expor uma peça que há de ter a sua resina aquecida, a gases resultantes da queima de combustível, o que pode prejudicar a cura da resina, gerar bolhas, entre outros.

Contudo, se o equipamento for vedado e necessitar de aquecimento em sua parte interna através de transmissão de calor por condução das paredes aquecidas pelo ambiente, então não será um problema utilizar um queimador.

  • Manutenção

A resistência elétrica requer menos manutenção, visto que possui menos partes móveis e não tem contato com resíduos de combustão. Contudo, pode ser exigida a substituição periódica das resistências devido ao desgaste, mas essa é uma informação que o fornecedor irá lhe dizer.

Já o queimador de combustível requer manutenção regular para possíveis problemas em filtros, bicos atomizadores, câmara de combustão, entre outros.

  • Limitações

Enquanto a resistência elétrica possui limitações de temperatura máxima (informação de fornecedor e projeto), de eficiência para aquecer grandes volumes ou áreas extensas, por exemplo, o queimador pode atingir temperaturas muito altas.

Contudo, o queimador emite poluentes e é necessário controlar as suas emissões, seja por meio de ventilação adequada, controle estequiométrico para combustão, entre outros.

  • Segurança

Por fim, podemos mencionar a segurança, fator este de maior relevância, entre todos os outros, para diversas indústrias.

A resistência elétrica, nessa questão, tem menor risco de incêndio ou explosão, se comparada com os combustíveis. Contudo, há o risco elétrico e necessita de instalações adequadas e proteção contra sobrecargas.

Já o queimador de combustível carrega consigo o risco de incêndio e explosão, devido ao armazenamento e uso de combustíveis inflamáveis. Por isso, é preciso de um sistema de segurança adicional, seja com detectores de gás, supressão de incêndio, entre outros.

Portanto, nota-se que os aspectos industriais, como a temperatura, segurança, emissão de gases, exposição do produto, entre outros, devem ser considerados para a escolha da resistência elétrica ou do queimador de combustível.

Contudo, para seja sua escolha a resistência ou o queimador de combustível, saiba que podemos lhe ajudar com isso.

A Nepin oferece resistência, transformadores de ignição, bombas de óleo e bicos atomizadores para o seu processo industrial. Basta entrar em contato conosco e tirar as suas dúvidas com a nossa equipe especializada.

Deixe um comentário