O que você precisa saber sobre pressostatos para autoclaves

A eficiência e segurança em processos industriais são aspectos fundamentais para garantir a qualidade dos produtos e a integridade dos equipamentos.

Entre os diversos dispositivos utilizados para monitorar e controlar esses processos, destacam-se aqueles que lidam com a pressão, uma variável crítica em muitas aplicações e que vem sendo trabalhada cada vez mais, desde a revolução industrial.

O controle preciso da pressão é essencial em sistemas onde a estabilidade e a segurança são prioridades. Para isso, sensores e dispositivos de controle são instalados estrategicamente para medir e ajustar a pressão de maneira contínua e precisa.

Contudo, o simples monitoramento da pressão não é suficiente em um processo, ou seja, para que um processo seja eficaz, é preciso ter um controle sobre a variável em tempo real.

Com isso, entram em cena os pressostatos, dispositivos fundamentais para a automação, para a segurança de processos industriais e, também, algo fundamental na formulação do conteúdo deste texto.

No contexto de autoclaves, que são equipamentos críticos em diversas indústrias, especialmente na médica e farmacêutica, os pressostatos desempenham um papel vital, visto a alta pressão interna neste equipamento e o seu risco se houver falhas.

Desse modo, este texto tem o propósito de lhe fornecer informações diversas a respeito do assunto, como a importância dos pressostatos em autoclaves, como funcionam, e qual o pressostato adequado para suas necessidades específicas.

Portanto, continue acompanhando este texto até o fim.

O que é o pressostato

O monitoramento e o controle de variáveis é algo essencial, visto que influenciam essas variáveis influenciam umas às outras de acordo com os seus valores, além de que devem ser considerados os critérios de qualidade e segurança no processo em questão.

Além disso, sendo a pressão uma variável super relevante e comum a diversos processos industriais, surge-se a necessidade de inserir dispositivos, no sistema, que auxiliam no controle dessa variável.

O pressostato, neste contexto, é um dispositivo que funciona como um interruptor, que fecha ou abre circuitos elétricos de acordo com valores de pressão alcançados e que são pré-determinados devido ao ajuste nele feito.

Em compressores, por exemplo, o pressostato faz com que o sistema opere dentro de limites seguros e que atendam à qualidade do processo.

E como isso acontece?

Bem, quando um sistema necessita de 15 bar de pressão, esse valor é ajustado no compressor, de modo que o pressostato feche o circuito elétrico dessa máquina, desligando-a, mantendo então a pressão no valor ajustado.

Analogamente, o comportamento se repete para outras máquinas, como máquinas de fluxo (bombas, por exemplo).

O que é a autoclave

A autoclave é um dos diversos equipamentos que utilizam a pressão, em conjunto com a temperatura, para realizar as suas funções básicas.

Esse equipamento, por exemplo, utiliza vapor sob alta pressão para esterilizar equipamentos e materiais e, por este motivo, faz-se indispensável na indústria alimentícia, farmacêutica, biológica, entre outros.

Para que você tenha ideia, existem autoclaves que podem chegar a 130 °C de temperatura e a sua pressão também pode variar de acordo com o tamanho e aplicação. Assim, é comum encontrar autoclaves relativamente pequenas, com pressão de até 2,5 bar.

Principais etapas da autoclave

A autoclave executa algumas fases ou ciclos durante o seu funcionamento e, para este texto, é preciso entender as suas principais fases.

  1. Vácuo: a autoclave remove o ar presente na câmara através de um ciclo de vácuo. Com isso, o vapor penetra de um modo mais eficaz no meio e sobre a superfície dos itens na autoclave presentes;
  2. Aquecimento e esterilização: após a evacuação do ar, a autoclave injeta vapor pressurizado em alta temperatura (120 °C a 130 °C) e pressão (15 a 35 psi). na câmara por um tempo determinado e de acordo com os itens presentes;
  3. Exposição: o tempo de exposição dos itens deve ser o suficiente para garantir a destruição de todos os microrganismos, incluindo esporos resistentes;
  4. Exaustão: terminada a exposição, a pressão e a temperatura dentro da câmara são reduzidas gradualmente;
  5. Secagem: em alguns ciclos de autoclave, é utilizada uma fase de secagem a vácuo para remover umidade residual.

O que você precisa saber sobre pressostatos para autoclaves

Visto a explicação individual da função de um pressostato e de como uma autoclave funciona, é notável que a relação entre o dispositivo e o equipamento seja mais do que necessário.

Primeiramente, os pressostatos utilizados em autoclaves, são específicos para trabalhar nas faixas de pressão mencionadas, podendo variar de acordo com a necessidade.

O pressostato trabalha em conjunto com o gerador de vapor que há de submeter o ambiente interno (volume de controle) a uma pressão e temperatura determinados.

Desse modo, o pressostato assume a sua responsabilidade de manter os níveis de pressão específicos para que a etapa de esterilização seja cumprida.

Além disso, o pressostato realiza o trabalho de manter o equipamento seguro. Como a autoclave pode ser considerada como um vaso de pressão, os critérios de segurança devem ser fortemente respeitados.

Desse modo, não só o pressostato é importante, como também válvulas de segurança e alívio.

Qual o pressostato ideal para autoclaves?

Se você procura o pressostato ideal para a aplicação em autoclaves, você precisa de dispositivos que garantem a qualidade do seu processo, bem como a segurança do ambiente.

Desse modo, decidimos dar-lhe a solução para o seu problema. Abaixo, deixamos alguns de nossos pressostatos Danfoss que cumprem a proposta da aplicação em questão. Esses pressostatos mantêm os valores de pressão em níveis bastante estreitos.

Para mais, leia as suas especificações ou entre em contato com a nossa equipe técnica especializada.

Deixe um comentário